Rua: São Francisco Xavier, 75 - Tijuca - Rio de Janeiro, RJ
21 2234-2094 ou 21 2234-2095 / paroquiasfxavier@yahoo.com.br

Papa: “Não matar o próximo com fofocas”

FranciscoOnde Deus está não existem ódio, inveja e ciúmes e não se fazem fofocas que matam os irmãos”: é o que disse o Papa Francisco na manhã desta segunda-feira, 2 de setembro, na Casa Santa Marta, onde recomeçou a celebrar a missa com a presença de grupos, depois da pausa do verão.

O encontro de Jesus com seus compatriotas, os moradores de Nazaré, na narração do Evangelho de São Lucas proposta pela liturgia do dia foi o tema da homilia do Papa. Os nazarenos admiravam Jesus – observou o Papa – mas esperavam dele algo grandioso para acreditarem nele: “queriam um milagre, queriam um espetáculo”. Quando Jesus disse que eles não tinham fé, ficaram furiosos. Se levantaram e levaram Jesus até o monte per empurrá-lo, para matá-lo:

Prestem atenção como às coisas mudaram: começaram com a beleza, com a admiração, e terminaram com um crime; queriam matar Jesus por ciúmes, inveja, estas coisas… Esta coisa não aconteceu dois mil anos atrás… isto acontece todos os dias em nossos corações, em nossas comunidades. É assim: no primeiro dia, as pessoas dizem: “Que legal este cara que chegou na comunidade”. No primeiro dia falam bem, no segundo não tanto, no terceiro já começam as fofocas e terminam por acabar com ele.

Uma comunidade, uma família – prosseguiu o Papa – é destruída por esta inveja, que semeia o diabo nos corações e faz com que se fale mal uns dos outros”. “Nestes dias – sublinhou – estamos falando tanto sobre a paz, vemos as vítimas das armas… mas é preciso pensar também em nossas armas cotidianas: a língua, os mexericos, as fofocas”. “As comunidades – concluiu – devem viver com o Senhor e ser como o Céu”.

Para que haja paz em uma comunidade, em uma família, em um país e no mundo, temos que estar com o Senhor. Onde o Senhor estiver, não existe inveja nem criminalidade, ódio e nem ciúmes. Existe fraternidade”. “Peçamos ao Senhor para não matarmos jamais o próximo com nossa língua e estar com Ele como todos nós estaremos no Céu”.

Print This Post