Rua: São Francisco Xavier, 75 - Tijuca - Rio de Janeiro, RJ
21 2234-2094 ou 21 2234-2095 / paroquiasfxavier@yahoo.com.br

O QUE É DE CRISTO NÃO PODE SER MENOSPREZADO

tela Cristo Menosprezado de Cenni di Pepo

Uma senhora de idade avançada residente em Senlis, subúrbio de Paris, necessitando mudar de residência, anunciou  o seu desejo de colocar a venda todos o moveis e objetos de sua casa. Ao examinar o interior da casa Philomène Wolf, especialista em leilões, deparou com um quadro antigo pendurado entre a sala de estar e a cozinha.  Apesar da moldura gasta e tela desbotada sugeriu que fosse levado para um antiquário e avaliado. A proprietária achou um desperdício; levar uma imagem já desgastada pelo tempo e com a moldura deteriorada pelo cupim.

Mas  Philomène insistiu e venceu.  Levado para a  casa de leilões Actéon a tela foi submetida a um exame de reflectografia infravermelha revelando um desenho subjacente em bom estado embora necessitando de reparos; A tela foi levada ao gabinete de  Eric Turquin,  especialista em História da Arte.   Nesta  casa de leilões especializada em obras de arte antiga  foi verificado os traços da moldura e o estilo da pintura;  a ornamentação do fundo dourado tinha algo em comum com um conjunto da Paixão de Cristo pintada com tinta têmpera em 1280 pelo italiano florentino Cenni di Pepo mais conhecido por Cimabue (1272-1302) pertencendo à escola do Renascimento Italiano.  Turquin  batizou a tela com o título de Cristo Menosprezado.  A importância desta tela é tão significativa que ela é hoje considerada pela Actéon o quadro primitivo mais caro já negociado, nivelando-se a um  Salvator Mundi de da Vinci e Massacre dos Inocentes de Rubens.  A camada pictórica ainda estava em bom estado requerendo limpeza da tela suja pelo passar dos séculos bem como a substituição da moldura.  O mais incrível é que descobriram tratar-se de um díptico, ou seja, a aba esquerda do conjunto pintado em dois planos.

A tela foi leiloada em 27/10/2019 na França por vinte e quatro e meio milhões de euros, mas novo proprietário não pode levar para seu país; o governo francês impediu a saída da tela por se tratar de uma obra rara.

Colaboração: Ubirajara de Carvalho (Membro do Apostolado da Oração)

Print This Post