Rua: São Francisco Xavier, 75 - Tijuca - Rio de Janeiro, RJ
21 2234-2094 ou 21 2234-2095 / paroquiasfxavier@yahoo.com.br

No Mar de Kagoshima

img20110122145248371Repetindo o que aconteceu em 1548 na aldeia de Maricá quando José de Anchieta fez “chover peixe” na praia de Araçatiba, o jesuíta Francisco Xavier vinha caminhando pela areia da enseada de Kagoshima no final da tarde rememorando as últimas reclamações de um Bonzo gordo irritado com ele pelo afastamento de seus fieis e adesão ao jesuíta. Era o fim do inverno em fevereiro de 1552 quando Francisco Xavier  parou para observar  o pôr do sol e viu uma  fila de pescadores recolhendo a rede. O último da fila já na areia  volta-se para o jesuíta  com fisionomia triste;  Comovido, Xavier indaga:

Porque vos desanimais, filho?

– Hoje não há peixe; aliás, o mar em Kagoshima não é mais como antigamente. Há dias que não recolhemos nem um só.

Xavier levanta os olhos para o céu, volta-se para o pescador e, humildemente, ordena:

– Não importa! Lançai-a ainda mais uma vez a rede e tende confiança em Deus.

Arma-se uma discussão entre os pescadores, uns a favor e outros contra o retorno ao mar, e, finalmente, decidem atender o jesuíta e retornam a rede para o barco,  fazendo  o lançamento  n‘água. Nunca pescaram tanto e Kagoshima, a partir de então, tornou-se conhecido como um dos melhores locais para pesca no Japão. Aliás, existe hoje um importante monumento no porto de Kagoshima dedicado a São Francisco Xavier.

colaboração: Ubirajara de Carvalho (Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão e Membro do Apostolado da Oração).

Print This Post