Rua: São Francisco Xavier, 75 - Tijuca - Rio de Janeiro, RJ
21 2234-2094 ou 21 2234-2095 / paroquiasfxavier@yahoo.com.br

Assim como aconteceu com São Francisco Xavier

Assim como aconteceu no Golfo de Bengala com o jesuíta Francisco Xavier quando ele se transmutou para salvar Afonso Calvo, mais 14 tripulantes e a chalupa da nau São Miguel de D. Eduardo da Gama, o mesmo aconteceu com o Frei Antônio de Sant’Ana Galvão com sua bilocação[1] no Convento de Santo Antônio no Rio de Janeiro quando o acontecido ocorreu numa fazenda a 120 quilômetros de São Paulo. Vamos aos fatos:

Grávida de um menino atravessado no útero, uma senhora pediu ao marido para que fosse chamar Frei Galvão no Convento de São Francisco em São Paulo. O marido escolheu o melhor cavalo e partiu célere, com um ajudante e cavalo reserva, para a capital. Lá chegando de manhã foi direto para o Convento de São Francisco onde ele viveu a maior parte de sua vida. Ele tinha o cargo de guardião que ocupou duas vezes de 1798 a 1799 e de 1801 a 1802.  Frei Galvão não estava; tinha ido ao Rio de Janeiro participar dos Capítulos[2] Provinciais per pedes, ou seja, a pé com seu cajado e pequena trouxa em cerca de noventa dias de viagem segundo consta no Registro dos religiosos.

Informado que Frei Galvão havia partido para o Rio de Janeiro. Desanimado, regressou à fazenda e teve a surpresa; a esposa estava bem e a proclamar as virtudes do grande benfeitor Frei Galvão. Relatou que ele havia aparecido durante noite muito chuvosa, estando completamente enxuto; abençoou-a deu-lhe de beber e de imediato melhorou, tendo um lindo bebe. Impressionado, partiu imediatamente para o Rio de Janeiro em direção ao convento de Santo Antônio para agradecer o milagre.

No Convento o marido expôs minuciosamente ao guardião tudo o que aconteceu. Ele não acreditou e retrucou:

– Como pode acontecer o relatado se Frei Galvão tomou parte todos os dias nas sessões capitulares? Mas o homem insistiu.

– Pois bem. Ninguém pode saber melhor do que o próprio padre. Vou mandar chamá-lo.

– Padre-Mestre, este homem aqui vem de São Paulo para lhe agradecer ter estado estes dias em sua fazenda confessando sua mulher e dando-lhe a benção com o que ela ficou fora de perigo. Como se explica isto se Vossa Paternidade não saiu deste convento?

Frei Galvão respondeu:

– Como se deu não sei; mas verdade é que lá estive.

Colaboração: Ubirajara de Carvalho (Membro do Apostolado da Oração).

[1] Bilocação: significa estar em dois lugares ao mesmo tempo.

[2] Capítulo:  reunião de frades para decidir assuntos da fraternidade onde tomam suas decisões e organizam seus programas de vida e de apostolado.

Print This Post